5Nov | Ganhar a vida: transição ecossocial e trabalho | debate em catalão

La Xarxa d’Economia Solidària (A Rede de Economia Solidária), em colaboração com Observatori del Deute en la Globalització, Ecologistes en Acció, Entrepobles e Extinció o Rebel·lió, está a organizar uma série de palestras “Ganhar a vida: transição ecossocial e trabalho” cujo objetivo principal é promover um amplo debate sobre quais mudanças são necessárias no mundo do trabalho para colocar a vida no centro e alcançar um sistema produtivo justo e sustentável, e fazê-lo com a diversidade de atores que atuam este cruzamento.

No dia 5 de Novembro, às 18h00 (hora portuguesa), a Matilde do Climáximo participou no debate “O Desafio da Reconversão Industrial pela Transição Ecossocial” para apresentar a campanha Empregos para o Clima.


Descrição: Os perigos associados, no presente e principalmente no futuro, à desorganização do sistema climático que as emissões de gases de efeito estufa (GEE) estão produzindo, tornam cada vez mais difícil não reconhecer que vivemos uma emergência climática global. Uma emergência que, infelizmente, não vem sozinha. Por pelo menos dois séculos o desenvolvimento do capitalismo industrial, hoje hegemónico em todo o mundo, foi acompanhado por um severo grau de destruição ecológica e uma profunda transformação social que rompeu quase todos os elos com as formas de produzir e produzir. reproduzir de sociedades pré-industriais. O conjunto cumulativo desta devastação ecológica e deste novo quadro económico-institucional, tem dado origem a uma profunda crise ecossocial, em que às alterações climáticas se junta a perda da biodiversidade, os limites da disponibilidade de materiais e dos recursos energéticos fósseis, a perda de solo fértil, a crise de cuidado, a falta de autonomia material e econômica, e um longo e assim por diante. Diante desse cenário, não é surpreendente que o consenso em torno da necessidade de reduzir as emissões globais de GEE esteja se tornando mais generalizado. Mas surge inevitavelmente uma questão: o que essa redução implica para nossa organização económica, nosso sistema político ou nossos modos de vida? É necessário explorar a ligação entre trabalho (e dentro dele, emprego) e emissões de GEE, para explorar onde estamos, quais bases estão sendo colocadas diante da Transição Ecossocial e que tipo de transformações no trabalho devem acompanhar a redução de emissões necessária e urgente.

A emissão em direto nos sites fesc.xes.cat e plataformess.org .