Empregos para o Clima: investir no presente e no futuro

WindFarm offshore

A idade da pedra não acabou por causa dum pico de produção da pedra. A idade dos combustíveis fósseis também vai ter de acabar antes das reservas acabarem.

Uma transição energética justa para fontes renováveis de energia não só travaria a crise climática, como também traria novas tecnologias ao país. Investimento público nas tecnologias emergentes, como energia dos oceanos (marés e ondas), turbinas eólicas no mar e painéis solares, pode tornar Portugal num centro de investigação e desenvolvimento.

Uma onda de desenvolvimento na sustentabilidade pode recuperar os sectores industriais, que terão uma procura universal na era das alterações climáticas.

A campanha Empregos para o Clima mostra o caminho para um Portugal 100% renovável em 10-15 anos, com investimento massivo nas energias renováveis, transportes públicos e eficiência energética e com dezenas de milhares de empregos dignos. Só com políticas climáticas coerentes e assertivas podemos travar a crise climática e construir uma nova sociedade.