A trabalhar (por um mundo melhor)...

Painel. Development as usual? Desafios do Sul Global

Temos menos de uma década para lançar uma transição energética justa e rápida. Para o conseguirmos, é preciso que trabalhadores e organizações sindicais e laborais lutem ao mesmo tempo pela justiça social e climática. E isto requer um melhor diálogo e alianças mais fortes entre organizações de trabalhadores e grupos de justiça climática. No eixo “O Trabalho na Era das Alterações Climáticas”, iremos ouvir falar de exemplos concretos de alianças e estratégias de convergência entre sindicatos e grupos ambientalistas, assim como refletir sobre como alcançar uma transição justa no Sul Global, e que aspeto esta deverá tomar. Os oradores destes painéis incluem sindicalistas e ativistas de nove nacionalidades e cinco continentes.

IV Encontros Internacionais Ecossocialistas

23-25 de novembro de 2018

Lisboa, Portugal

Mais informação e inscrições: www.alterecosoc.org

Enquanto os países do Norte Global devem fazer uma transição rápida e justa para longe dos combustíveis fósseis, os países do Sul Global precisam encontrar maneiras de evitar ficarem aprisionados nas infraestruturas de combustíveis fósseis e inventar e implementar modelos alternativos de desenvolvimento. É cada vez mais evidente que isso é impossível de alcançar dentro do quadro neoliberal. Neste painel, ouviremos as experiências dos camaradas do Brasil, das Filipinas e da África do Sul sobre os desafios políticos e ideológicos em seus respectivos países.

24 de novembro, Sábado, 16h00Daniel Angelim

Oradores

Daniel Angelim (CSA-CSI, Brasil)

Bacharelado e licenciado em História, e mestrado em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense, Daniel Angelim é agora assessor técnico na área de Meio Ambiente e Trabalho da Confederação Sindical das Américas (CSA-CSI).

Brian Ashley (Campanha Um Milhão de Empregos para o Clima, África do Sul)Brian Ashley 1

Brian Ashley é um activista em vários movimentos, ele é o fundador do Centro de Informação e Desenvolvimento Alternativo e faz parte da sua liderança colectiva. Ele também é um dos iniciadores da Campanha um Milhão de Empregos para o Clima na África do Sul. É ainda o editor da revista anticapitalista Amandla.

Josua Mata (SENTRO, Filipinas)

Josua Mata é sindicalista há quase 30 anos. Ele é actualmente Secretário-Geral da Sentro ng mga Nagkakaisa de 100.000 pessoas no Progresibong Mangagawa (SENTRO). O Sr. Mata participa simultaneamente do Conselho de Administração da Rede de Educação e Pesquisa do Trabalho (LEARN), uma associação de educação de trabalhadores estabelecida pelos sindicatos.josua mata

Moderator: Marie Fages (Climáximo, Portugal)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *