Apresentação: Cortar emissões dá muito trabalho.

Nesta sessão organizado no âmbito do 6º Encontro Nacional pela Justiça Climática, explorámos alguns sectores-chave na transição climática e como estes podiam ser descarbonizadas criando dezenas de milhares de empregos dignos: Como seria um setor energético com zero emissões? Que modelo de transporte e mobilidade pode atingir emissões zero? Que produção agropecuária pode ajudar-nos a travar o caos climático?…

Saber mais →

13MAR 14h00 | Apresentação: Cortar Emissões Dá Muito Trabalho.

Temos de cortar as emissões de gases com efeito de estufa em Portugal, rapidamente e drasticamente. Como é que se faz isso? Vamos entrar numa austeridade ecológica? Vamos voltar para a idade de pedra? Nada disso. Precisamos de fazer as coisas de uma forma diferente. Precisamos de fazer mudanças estruturais na nossa sociedade. E fazer isso vai dar muito…

Saber mais →

Descarbonizar o sistema energético em Portugal, criando milhares de empregos – Manuel Araújo

Neste artigo, apresentamos um caminho para a descarbonização do sistema energético em Portugal até 2030, eliminando todas as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) que lhe estão associadas. No final, todas as necessidades energéticas são aprovisionadas através de energia elétrica produzida a partir de fontes renováveis. Estimamos que esta transição energética daria emprego a 60 mil trabalhadores…

Saber mais →

VÍDEO: Empregos para o Clima na MFS (Moura Fábrica Solar)

A campanha Empregos para o Clima reuniu com trabalhadores da MFS para discutir a proposta de haver controlo público da fábrica para mantê-la em funcionamento. Empregos para o Clima na MFS (Moura Fábrica Solar) from Climaximo on Vimeo. A campanha “Empregos para o Clima” defende a nacionalização da fábrica de painéis solares de Moura. A Moura Fábrica Solar encerrou…

Saber mais →

COMUNICADO: O encerramento da fábrica de painéis solares de Moura é uma lição e oportunidade para transição justa.

A campanha Empregos para o Clima defende que a Moura Fábrica Solar deve ser nacionalizada, garantindo emprego digno para os trabalhadores e energia limpa para o país. A empresa Acciona declarou que a fábrica de painéis solares de Moura no distrito de Beja vai fechar, deixando 105 pessoas desempregadas. Acciona culpa o “mercado competitivo dominado por fabricantes chineses”. A…

Saber mais →

Então e a energia incorporada – os combustíveis fósseis utilizados para criar fontes renováveis?

O petróleo, carvão e gás que são queimados para construir uma turbina eólica ou um autocarro eléctrico emitem CO2. Isto significa que as energias renováveis não são simplesmente livres de emissões. A essas emissões chamamos “energia incorporada”. Da mesma forma, os autocarros e comboios não consomem apenas a eletricidade ou petróleo necessários para o seu funcionamento. Também existem emissões…

Saber mais →

Descarbonizar a Economia Portuguesa Criando Milhares de Empregos – Sinan Eden, Climáximo

A transição para uma economia baixa em carbono a partir do contexto português atual (onde três quartos da energia é proveniente de combustíveis fósseis) será uma enorme transformação com o potencial para criar dezenas de milhares de empregos se for conduzida de acordo com uma visão de transição justa. Como tornar Portugal 100% renovável e quantos empregos seriam necessários…

Saber mais →

A base para uma transição justa: Democracia Energética – Sinan Eden, Climáximo

É preciso cortar as emissões em Portugal em 60-70% nos próximos 15 anos. Mesmo de uma ponto de vista técnico, isto significa mudar tudo: mudar a forma como produzimos energia, mudar os meios de transporte, mudar a forma como distribuímos e consumimos produtos e mudar a forma como funciona a nossa sociedade. Ou isto, ou o clima vai mudar…

Saber mais →